sexta-feira, 3 de junho de 2011

NOCICEPTORES

FISIOLOGIA DA DOR
A percepção da dor, também chamada nocicepção, é essencial para a sobrevivência humana. A dor muitas vezes é positiva, ela nos ajuda a perceber os perigos do mundo. Ela nos estimula a reagir de acordo com a situação: afastar-nos de cacos de vidro, diminuir a pressão sobre um tornozelo torcido, etc.
Com isso apresentamos aumento da pressão arterial, pupilas dilatas, transpiração, e aumento da pulsação em resposta a um estimulo doloroso.



NOCICEPÇÃO
Lesão tissular
  1. Estimulação de nociceptores
  2. Liberação de mediadores químicos
  3. Liberação de mediadores inflamatórios
          Estimulação dos nociceptores e sensibilização


          Mediadores químicos
          Serotonina
          Adenosina
          Mediadores inflamatórios
          Bradicinina (canais de sodio)
          Prostaglandina E2 (sensibilizadora)
Produtos químicos modulam a excitabilidade dos nociceptores, tornando-os mais sensíveis aos estímulos térmicos ou mecânicos que provocam dor:
Bradicinina: despolariza diretamente os nociceptores e estimula mudanças celulares que deixam mais sensíveis os canais iônicos ativados pela temperatura;
 Prostaglandinas: gerados pela quebra enzimática de lipídeos de membrana. Não desencadeiam diretamente a dor, mas aumentam muito a sensibilidade dos nociceptores a outros estímulos;
Substância P: peptídeo sintetizado pelos próprios nociceptores. Causa vasodilatação e liberação de histamina a partir dos mastócitos e também pode provocar a sensibilização de outros nociceptores ao redor do local da lesão.
A ativação de um ramo do axônio de um nociceptor pode levar à secreção de substância P por outros ramos daquele axônio nas vizinhanças. As informações sensoriais, após chegarem à medula espinhal, são transmitidas ao bulbo, tálamo e finalmente córtex somatossensorial.


Fibras A delta
          Receptores mecânicos
          Receptores termomecânicos
Fibras  C
          Receptores polimodais -
    mecânicos, térmicos e químicos-

Vias Sômato-Sensitivas
Trato Neo-espino-talâmico




Mecanismos Envolvidos na Gênese
 dos Sintomas
Fibras aferentes A-d e C (dor)
        Sintomas espontâneos: dor em queimação e pontada
        Sintomas provocados: hiperalgesia
Fibras aferentes A-b (tato)
        Sintomas espontâneos: disestesia (dolorosa) e parestesia (não dolorosa)
Sintomas provocados: alodínia





     J.B

Nenhum comentário:

Postar um comentário