sexta-feira, 3 de junho de 2011

VISÃO MACROSCÓPICA – SISTEMA DIGESTÓRIO


Cite o trajeto do alimento pelo sistema digestório. Quais são as glândulas anexas e porque são consideradas como anexas?

Dentro da boca, os alimentos são triturados pelos dentes, umedecidos pela saliva e misturados pela língua, formando o bolo alimentar. A saliva é produzida pelas glândulas salivares e contém algumas enzimas.

Os alimentos são engolidos: a língua empurra os alimentos, que passam pela faringe e caem no esôfago.

O esôfago conduz os alimentos para o estômago, através de contrações, chamadas de movimentos peristálticos.

 No estômago, os alimentos ficam por mais ou menos duas horas, dependendo daquilo que você comeu. Lá transformam-se em uma pasta semilíquida, denominada quimo. Ali eles são amassados e revolvidos, recebendo o suco gástrico, que é o líquido fabricado pelo estômago,formado por substâncias importantes para a digestão.

Por meio de movimentos involuntários, o quimo é enviado ao intestino delgado, e mistura-se com três líquidos. Um deles, o suco intestinal, que é fabricado pelo próprio intestino. Os outros dois chegam através de canais: o fígado produz a bile, que é armazenada na vesícula biliar, e do pâncreas vem o suco pancreático. Esses três líquidos juntos, acabam por transformar a maior parte dos alimentos em nutrientes. O quimo, então, transforma-se novamente, agora em uma pasta líquida chamada de quilo.Os nutrientes atravessam as paredes do intestino delgado, passam para o sangue e são transportados para todos os órgãos do corpo, alimentando todas as células.

Depois do intestino delgado, o tubo digestivo se alarga um pouco: é o intestino grosso, com dois metros de comprimento. Sua principal função é absorver a água, evitando que ela seja eliminada junto com as fezes.

O reto é a última parte do intestino grosso. Quando termina a digestão, sobram dos alimentos apenas as partes que não conseguimos digerir. As fibras vegetais e outros restos, junto com bilhões de microorganismos que existem no interior do tubo intestinal, formando as fezes.

As fezes são eliminadas pelo ânus.

  - As Glândulas Anexas são: Glândulas Salivares, Glândulas Gástricas, Glândulas Intestinais, Pâncreas e Fígado


Descreva a cavidade da boca, citando as estruturas que determinam seus limites.
A boca é a parte inicial do sistema digestório responsável pelo esmagamento dos alimentos e início da absorção dos nutrientes. A boca fica situada na parte frontal inferior da cabeça e sendo limitada anteriormente pelos lábios, posteriormente pela parte bucal da faringe através de uma região estreitada, o istmo das fauces. Superiormente pelo palato, inferiormente por músculos do assoalho e lateralmente pelas bochechas. Ainda nesta cavidade fazem parte as saliências como a gengiva, dentes e língua.
Descreva as estruturas que estão presentes nas fauces e na língua
O istmo das fauces fica limitado superiormente pela úvula, lateralmente pelos arcos palatoglossos e inferiormente pelo dorso da língua.
Ápice, dorso, face Inferior e raiz.

Descreva a localização das glândulas parótidas, submandibulares e sublinguais e onde liberam sua secreção.

A maior das três e situa-se na parte lateral da face, abaixo e adiante do pavilhão da orelha. Irrigada por ramos da artérias carótida externa. Invernada pelo nervo auriculotemporal, glossofaríngro e facial.
Glândula submandibular – é arredondada e situa-se no triângulo submandibular. É irrigada por ramos da artéria facial e lingual.Os nervos secreto motores derivam de fibras parassimpáticas craniais do facial; as fibras simpáticas provêm do gânglio cervical superior.
Glândula Sublingual – é a menor das três e localiza-se abaixo da mucosa do assoalho da boca. É irrigado pelas artérias sublinguais e submentonianas. Os nervos derivam de maneira idêntica aos da glândula submandibular.

Descreva o esôfago, justificando a presença de esfíncteres e de movimento.

O esôfago é um tubo fibro – músculo-mucoso que se estende entre a faringe e o estômago. Se localiza posteriormente á traquéia começando na altura da 7º vértebra cervical.perfura o diafragma pela abertura chamada histo esofágico e termina na parte superior do estômago.Mede cerca de 25 centímetros de comprimento.
A presença de alimento no interior do esôfago estimula a atividade peristáltica, e faz com que o alimento mova-se para o estômago.
As contrações são repetidas em ondas que empurram o alimento em direção ao estômago.A passagem do alimento sólido, ou semi – sólido, da boca para o estômago leva 4-8 segundos; alimentos muito moles e líquidos passam cerca de 1 segundo.
Ocasionalmente, o refluxo do conteúdo do estômago para  interior do esôfago causa azia (ou pirose).A sensação de queimação é um resultado da alta acidez do conteudo estomacal.
O refluxo gastresofágico se dá quando o esfíncter esofágico inferior (localizado na parte superior do esôfago) não se fecha adequadamente após o alimento ter etrado no estômago. O conteúdo pode refluir para a parte interior do esôfago.
O esôfago é formado por três porções:
-PORÇÃO CERVICAL : porção que está em contato íntimo com a tráqueia
-PORÇÃO TORÁCICA: é a porção mais importante, passa por três do brônquio esquerdo (mediastino superior, entre a traquéia e a coluna vertebral).
- PORÇÃO ABDOMINAL : repousa sobre o diafragma e pressiona o fígado, formando nele a pressão isofâgica




O que é peritônio? Explique a diferença entre mesos (mesentério e mesocolo) e omentos.

O peritônio é a mais extensa membrana serosa do corpo.A parte que reveste a parede abdominal é denominada peritônio parietal e a que se reflete sobre as vísceras constitui o peritônio visceral.O espaço entre os folhetos parietal e visceral do peritônio é denominada cavidade peritoneal.
Determinadas vísceras abdominais são completamente envolvidas por peritônio e suspensas a parede por uma delgada lâmina final de tecido conjuntivo revestida pela serosa, contendo os vasos sanguíneos. A estas pregas é dado o nome geral de mesentério.Os mesentérios são: o mesentério propriamente dito, o mesencólon transverso e o mesocólon sigmóide.Em edição a estes, estão presentes, algumas vezes, um mesocólon ascendente e um descendente.
O mesentério propriamente dito – tem origem nas estruturas ventrais da coluna vertebral e msantém suspenso o intestino delgado.
O mesencólon transverso – prende o cólon transverso á prede posterior do abdome.
O mesocólon sigmóide – mantém  o cólon sigmóide em conexão com a parede pélvica
O mesocólon ascendente e descendente – ligam o cólon ascendente e descendente á prede posterior
 Do abdome.
O peritônio apresente dois omentos : o maior e o menor.
O omento maior : é um delgado avental que pende sobre o cólon transverso e as alças do intestiono delgado.Está inserido ao longo da curvatura maior do estômago e da primeira porção do duodeno.O omento menor estende-se da curvatura meor do estômago e da porção inicial do duodeno até o fígado.
Apêndices epiplóicos – são pequenas bolsas de peritônio cheias de gordura, situadas ao longos do cólon e a parte superior do reto.



Descreva o estômago (localização, partes do estômago e a arquitetura de sua parede).

O estômago está situado no abdome, logo abaixo do diafragma, anteriormente ao pâncreas, superiormente ao duodeno e a esquerda do fígado.É parcialmente coberto pelas costelas.O estômago está localizado no quadrante superior esquerdo do abdome (ver quadrantes abdominais no menu principal), entre o fígado e o baço.
O estômago é o segmento mais dilatado do tubo digestório, em virtude dos alimentos permanecerem nele por algum tempo,necessita ser um reservatório entre o esôfago e o intestino delgado.
A forma e posição do estômago são muito variadas de pessoa para pessoas; o diafragma o empurra para baixo, a cada inspiração, e o puxa para cima, a cada expiração e por isso não pode ser descrita como típica.
O estômago é divido em 4 áreas (regiões) principais : cárda, fundo, corpo e piloro.
O fundo , apesar do nome, situa-se no alto, acima do ponto onde se faz junção do esôfago com o estômago.
O corpo representa cerca de 2/3 do volume total.
Para impedir o refluxo do alimento para o esôfago, existe uma válvula (orifício de entrada do estômago – óstio cárdico o orifício esdofágico inferior), a cárdia, situada logo acima da curvatura menor do estômago.É assim denominada por estar próximo ao coração.
Para impedir que o bolo alimentar passe ao intestino delgado prematuramente, o estômago é dotado de uma poderosa válvula muscular, um esfíncter chamado piloro ( orifício de saída do estômago – óstio pilórico).
Pouco antes da válvula pilórica encontramos uma porção denominada antro-pilórica.
O estômago apresenta duas partes : a curvatura maior ( margem esquerda do estômago) e a curvatura menor ( Margem direita do estômago).


Descreva cada porção e função do intestino delgado.

A principal parte da digestão ocorre no intestino delgado, que se estende do piloro até junção iliocólica (ileocecal), que se reúne com o instestino grosso.O intestino delgado é um órgão indispensável.Os principais eventos da digestão e absorção ocorrem no intestino delgado, portanto sua estrutura é especialmente adaptada para essa função.Sua extensão fornece grande área de superfície para disgestão e absorção, sendo ainda muito aumentada pelas pregas circulares, vilosidades e microvilosidades.
O intestino delgado é retirado numa é de cerca de 7 metros de comprimento, podendo variar entre 5 e 8 metros ( o comprimento de intestino delgado e grosso em conjunto após a sua morte é de 9 metros).
O intestino delgado, que consiste em duodeno, jejuno e íleo, estende-se do piloro até junção ileocecal onde o íleo une-se ao ceco, a primeira parte do intestino grosso.

Duodeno: é a primeira porção do intestino delgado.Recebe este nome por ter seu comprimento aproximadamente igual á largura de doze dedos (25centímetros). É a única porão do intestino delgado que é fixa. Não possui mesentério. Apresenta 4 partes:
Parte Superior ou 1º porção – origina-se no piloro e estende-se até o colo da vesícula biliar.
Parte descendente ou 2º porção – é desperitonizada.
-DUCTOR COLÉDOCO – provêm da vesícula biliar e do fígado (bile)
-DUCTO PANCREÁTICO - provêm do pâncreas (suco ou secreção pancreática)
Parte horizontal ou 3º porção
Partes Ascendente ou 4º Porção
Jejuno : é a parte do intestino delgado que faz continuação ao duodeno, recebe este nome porque sempre que é aberto se apresenta vazio,É mais largo ( Aproximadamente 4 centímetros), sua parede é mais espessa, mais vascular e de cor mais forte que íleo.
Íleo : é o último segmento do intestino delgado que faz continuação do jejuno.Recebe este nome por relação com o osso ilíaco.É mais estreito e suas túnicas são mais finas e menos vascularizadas que jejuno. Distalmente, o íleo desemboca no intestino grosso num orifício que recebe o nome de óstio ileocecal.
Juntos, o jejuno e o íleo medem 6 a 7 metros de comprimento.A maior parte do jejuno situa-se no quadrante superior esquerdo, enquanto a maior parte do íleo situa-se no quadrante inferior direito. O jejuno e o íleo, ao contrário do duodeno, são móveis.



Descreva cada porção e função do intestino grosso.
O intestino grosso pode ser comparado com uma ferradura, aberta para baixo, mede cerca de 6,5 centímetros de diâmetro e 1,5 metros de comprimento.Ele se estende do íleo até o anus e está fixo á parede posterior do abdômen pelo mesecolo.
O intestino grosso absorve a água com tanta rapidez que, em cerca de 14 horas, o material alimentar toma a consistência típica do bolo.
O intestino grosso apresenta alguma diferenças em relação ao intestino delgado; o calibre, as tênias, os haustros e os apêndices apiplóicos.
O intestino grosso é mais calibroso que o instestino delgado, por isso recebe o nome de intestino grosso. A calibre vai gradativamente afinando conforme vai chegado no canal anal.
A tênias do cólon ( fitas longitudinais) são três faizas de aproximadamente 1 centímetro de largura e que percorrem o intestino grosso em toda sua extensão.São mais evidentes no ceco e no cólon ascendente.
Os haustros do cólon (saculações) são abaulamentos ampulares separos por sulcos transversais.
Os apêndices apiplóicos são pequenos pingentes amarelados constituídos por tecido conjuntivo rico em gordura.Aparecem principalmente no cólon sigmóide.
O intestino grosso é dividido em 4 partes principais : ceco (cecum), cólon (ascendente, transverso, descendente e sigmóide), reto e ânus;
A primeira é o ceco, segmento de maior calibre, que se comunica com o íleo. Para impedir o refluxo do material proveniente do intestino delgado.,existe uma válvula localizada na junção do íleo com o ceco – válvula ileocecal (iliocólica). No fundo ceco, encontramos o Apêndice vermiforme.
Colo ascendente – é a segunda parte do intestino grosso. Passa para cima do lado direito do abdome a partir do ceco para o lobo direito do fígado, onde se curva para a esquerda na flexura direita do colo (flexura hepática)
Colo transverso – é a parte mais larga e mais móvel do intestino grosso.Ele cruza o abdome a partir do flexura direita do colo até a flexura esquerda do colo, onde curva-se inferiormente para tornar-se colo descendente. A flexura esquerda do colo (flexura esplênica). Normalmente mais superior, mais aguda e menos móvel do que a flexura direito do colo.
Colo descendente – passa retroperitonealmente a partir da flexura esquerda do colo para a fossa ilíaca esquerda, onde ele é contínuo com o colo sigmóide.
Colo sigmóide – é caracterizado pela sua alça em forma de “S”, de comprimento variável.O colo sigmóide une o colo descendente ao reto. A terminação das tênias do colo, aproximadamente a 15cm do ânus, indica a junção reto-sigmóide.
FLEXURA HEPÁTICA – ENTRE O CÓLON ASCENDENTE E O CÓLON TRANSVERSO
FLEXURA EXPLÊNICA – ENTRE O CÓLON TRANSVERSO E O CÓLON DESCENDENTE
O reto recebe este nome por ser quase retilíneo. Este segmento do instestino grosso termina ao perfurar o diafragma do pelve ( músculos lavantadores do ânus) passando a se chamar de canal anal.
O canal anal apesar de bastante curto ( 3 centímetros de comprimento) é importante por apresentar algumas formações essenciais para o funcionamento intestinal, das quais citamos os esfincteres anais.
O esfíncter anal interno é o mais profundo, e resulta de um espessamento de fibras musculares lisas circulares, sendo consequentemente involuntário, sendo este voluntário.Ambos os esfíncteres devem relaxar antes que a defecação possa ocorrer.
Funções do intestino grosso:
- Absorção de água e de certos eletrólitos;


Nenhum comentário:

Postar um comentário